No painel de hoje 
Buscar
  • Painel

No Painel convida #9 : -Victor Simonelli-Diário de Quarentena

No Painel Convida dessa semana: Victor Simonelli, o apresentador do bps no painel. Formado em Jornalismo na FIAM/FAAM.


Diário de Quarentena


Durante a pior epidemia da história do país, nossa sociedade revelou faces e caráteres muito triste de aceitarmos.


Coronavírus. Uma doença que teve seu início na China, mais especificamente, em Wuhan, capital da província de Hubei. Aqui no Brasil, desde o dia 17 de março de 2020, em uma quarentena colocada pelos governadores e prefeitos, com a total ausência do governo federal, tivemos alguns estágios que mostraram o quão falha é a nossa sociedade.


Capítulo 1: “Gripezinha”


Em uma aparição na televisão, o (não)presidente Jair Bolsonaro, alegou ser imune a tal doença devido ao físico de atletas. Começando ali, um conflito longo durante o isolamento social de conflito com autoridades que defendiam veementemente que a população deveria ficar em casa.


Capítulo 2: Tchau, Mandetta!


Luiz Henrique Mandetta, o primeiro ministro da saúde nessa pandemia, alertava sempre da importância das pessoas permanecerem em casa, de não saírem às ruas, de se cuidarem. Mas, estimulados por uma onda de (perdão o termo)imbecilidade, iniciada no planalto de Brasília, as pessoas começaram a ignorar as recomendações de organizações de saúde. Mandetta, vendo que tudo que era dito por ele, era prontamente contradito pelo presidente, pediu demissão.


Capítulo 3: João Pedro.


Um menino de 14 anos, em sua quarentena sendo feita à risca, com ele em casa, em São Gonçalo, foi assassinado em sua casa, onde estava com mais cinco pessoas. Com setenta tiros, o caso de João Pedro retrata a falência completa do nosso sistema de segurança pública, e como a polícia é seletiva em quem atira.

João Pedro, 14 anos, morto em operação policial com 70 tiros. Foto: portal R7


Capítulo 4: Manifestações antidemocráticas.


Brasília retrata o circo que o Brasil se transformou, nesse completo desgoverno. Criminosos, quebrando o que preza a nossa constituição, se juntaram a favor de pautas como fechamento de STF e intervenção militar. Uma minoria que ganha voz, com o auxílio e quem está lá em cima.


Capítulo 5: Miguel.


Um menino de 5 anos de idade, que acompanhava a mãe em sua jornada de trabalho, na casa da patroa, a primeira dama de Tamandaré, município de Pernambuco. A mãe, Mirtes Renata Santana de Souza, teve de deixar o menino com a patroa, para passear com os cachorros da mesma.

A patroa, abandonou a criança a sorte, que subiu até o 9º andar do prédio de luxo em que mora.

O fim do enredo, vocês devem conhecer. Mais uma morte, em um cenário de descaso social com a população negra.


Capítulo 6: O assassino Bruno.


Para finalizar este triste enredo, temos o goleiro Bruno. Ex jogador de futebol, assassino de Eliza Samúdio, que o mesmo confessou ter jogado o corpo da mulher para os cachorros comereu, foi convidado para fazer uma propaganda de um canil.


Todos esses episódios retratam nossos problemas sociais mas, confesso que nessa quarentena, essa sequência de episódios, tenho notado que as pessoas não possuem mais o poder de se indignar. E, de todos os fatores citados, isso é muito triste e cruel.


Torço para que até o fim da quarentena, eu não venha aqui novamente, contar mais um capítulo. Não sei onde vamos parar, mas espero que isso que ocorreu e vem ocorrendo durante a quarentena, nos ligue o alerta social.

ilustraçao capa:Portal GGN

50 visualizações
O que você achou dessa exposição ?
APOIE A NOSSA CAUSA
Deixe uma doação única de R$10
arrow&v
logo painel.jpg
logo painel.jpg